13/12/2009

O Judeu e a Samaritana

Autor: Fernando Paixão

Vou contar uma história
Que é de todos conhecida
Está no livro sagrado
Por João desenvolvida
Porém agora em cordel
A história será lida

O Evangelho de João
Tem jeito peculiar
Dos outros três se difere
É uma obra singular
No bojo das escrituras
POssui beleza sem par

Das histórias contidas
No Evangelho de João
Tem uma delas que quero
Chamar bem a atenção
A mulher que conversava
Com Jesus no cacimbão

O cacimbão era o poço
Do patriarca Jacó
Tinha muita tradição
Antigo como ele só
Ficava na Samaria
Terra onde viveu Ló

Quero antes explicar
Porque é que a Samaria
Era muito desprezada
Pela região judia
Não havia um judeu
Que ali passasse um dia

Samaria é a mesma
Terra por Deus prometida
Mas no decorrer da história
Teve que ser repartida
No tempo da monarquia
Norte e Sul foi dividida

No tempo de Salomão
A população no Norte
Reclamava dia e noite
A sua falta de sorte
Era tanto do tributo
Que o pobre via a morte

A população do Norte
POr causa da repressão
Fez um grande movimento
Pela emancipação
Conseguiram a liberdade
No tempo de Roboão

Roboão era um dos filhos
Herdeiros de Salomão
Não teve sabedoria
Pra governar a nação
E então se deu origem
No país a divisão

Joroboão foi o rei
Que ao norte governou
No sul ficou Roboão
Que o povo rejeitou
E no fim dessa história
O povo foi quem pagou

A nação enfraquecida
Ficou muito vulnerável
Os assírios invadiram
Era tudo inevitável
Destruíram sem piedade
Que desastre lamentável

Rei Oséias governava
Nesse tempo a Samaria
E em sete vinte e dois
Foi o ano da sangria
E o povo de Israel
Nunca mais teve alegria

O povo foi deportado
Para as terras estrangeiras
A dominação assíria
Expandiu suas fronteiras
Samaria foi aos poucos
Esquecendo suas maneiras

No Norte não se ligava
Muito pra religião
Aquela oficial
Que se tinha obirgação
De no templo cultuar
O Deus do pai Abraão

Nos costumes estrangeiros
Todos iam se envolvendo
Pouco a pouco a Samaria
Sua fé foi esquecendo
O respeito de Judá
Samaria foi perdendo

Judá, reino do sul;
Capital Jerusalém
Conservava a lei do templo
E era radical também
Não queria que a lei fosse
Violada por ninguém

O tempo foi se passando
E no tempo de Jesus
o judeu conservador
Que a lei de Deus conduz
Causava tanta injustiça
Pela forma que a traduz

Dizia sempre o judeu
A Samaria não presta
Pois sua população
É impura tem aresta
Judá é o povo santo
Que na terra ainda resta

Agora caro leitor!
Podemos continuar
A história que eu estava
Começando a contar
Da mulher que com Jesus
Pegou-se a conversar

Era uma samaritana
Aquela mulher do poço
Ficou tão admirada
Com aquele homem moço
Quebrando grande tabu
Sem fazer nenhum esforço

Jesus era um judeu
Não podia conversar
Com mulher da Samaria
Ou qualquer outro lugar
Para o homem era feio
Esta atitude tomar

Agora eu vou contar
Como diz a escritura
A conversa de Jesus
Com aquela criatura
Tinha o coração aberto
Só não era casta e pura

Jesus Cristo caminhava
Por toda a região
Em lugarejos e vilas
Pra fazer a pregação
E esteve na Judéia
Pra cumprir sua missão

Passou pela Samaria
Pra chegar na Galiléia
Por causa dos fariseus
Jesus mudou de idéia
Não podendo mais ficar
Foi saindo da Judéia

E no meio do caminho
Na cidade de Sicar
Jesus estava passando
Ali decidiu ficar
pois já era meio dia
Foi preciso descansar

Sentindo fome e sede
Jesus se aproximou
D'uma mulher que estava
No poço, ela olhou...
Dê-me um pouco desta água
Foi o que Jesus falou

Os discípulos de Jesus
Tinha ido pra cidade
Pra comprar o alimento
Pra sua necessidade
Ficou Jesus e a mulher
Naquela localidade

A mulher se espantou
Porque nada entendia
Como é que um judeu
Desta água lhe pedia
E quem era aquele homem
Ela ainda não sabia

Pois eu sou a Água Viva
O Cristo se revelava
Aquela mulher sorria
Sem saber que se tratava
Dá água vivificante
Que a sede saciava

A mulher disse a Jesus
Que o poço era fundo
E Jesus com paciência
Lançou-lhe um olhar profundo
tinha em seu coração
O maior amor do mundo

E Jesus já foi dizendo
Desta água quem beber,
Não terá sede jamais
Para sempre vai viver
Nascerá pra vida eterna
Quem a água conhecer

Jesus Cristo ao dizer
Pra mulher quem ele era
Falou de uma verdade
Que não era um quimera
Que ele é o Salvador
Que o mundo tanto espera

Era tanto preconceito
Sobre aquela infeliz
Somente por ser mulher
E ser uma meretriz
Por viver na Samaria
Ela não era feliz

Mas Jesus ao vê-la assim
Desprezada pelo povo
Olhando-a com ternura
Ela disse: eu te louvo
Esta cena eu sei que foi
Acontecimento novo

Agora veja o leitor
O que faz o Nazareno
Amou aquela mulher
Com amor doce e sereno
E pra ela declarou-se
Com o seu gesto ameno

Não foi para o judeu
Que Jesus se revelou
Este povo prepotente
Jesus não abençoou
Foi para a samaritana
Que Jesus se declarou

Isso mostra que a lei
Não é para escravizar
Deve estar sempre a serviço
E à pessoa libertar
Quem se apega tanto à lei
Não sabe o que é amar

Sei que aquele encontro foi
Pra nos dá essa lição
Que a pessoa vale mais
Do que uma prescrição
Quem condena um pecador
Não está sendo cristão

Meu trabalho chega ao fim
Da história fui fiel
Deus me deu sabedoria
Pra escrever esse cordel
Retratando um episódio
Da história de Israel

4 comentários:

  1. Muito bom essa história, tens palavras de importância tão grande a respeito da vida do Salvador Jesus e do povo de Samaria..o que eu mais pude entender foi a história da mulher samaritana que jesus explicou a ela que ele é a água viva e quem Bebe desta água viverás eternamente.

    ResponderExcluir
  2. Samuel Ribeiro03/06/2011 05:12

    Muito bom esse cordel,moro no Tocantins, e gostaria muito de difundir esse trabalho maravilhoso na minha igreja, gostaria se possível que o irmão me desse umas dicas para atuar nesse ministério, Deus te abençõe.

    samartphoto@globo.com

    ResponderExcluir
  3. filho amado de Jesus
    é linda tua missão
    de mostrar em prosa e verso
    o autor da salvação.
    tu escrita é tão simples
    fácil de compreender
    mesmo sem ser bem letrado
    o cabra que ler teus versos
    tudinho vai entender

    ResponderExcluir